19/11/2016

Estoril vence Cova da Piedade e vai às oitavas da Taça de Portugal

O Estoril-Praia qualificou-se hoje para as oitavas de final da Taça de Portugal em futebol, ao bater o ‘secundário’ Cova da Piedade por 2-0, com gols de Ailton e Bruno Gomes.

A formação da I Liga adiantou-se no marcador aos 21 minutos, por intermédio de Ailton, mas só pôde descansar em período de descontos, mais precisamente aos 90+1, quando Bruno Gomes apontou o segundo golo.

O treinador do Estoril, Fabiano Soares, preferiu manter a espinha dorsal da equipa na receção à equipa revelação da II Liga. O respeito pela formação da Margem Sul, terceira do seu campeonato, estava bem patente, registando-se apenas as entradas de Luís Ribeiro, Diakhité e Ailton como elementos menos utilizados no ‘onze’ habitual dos estorilistas.

As bases da partida foram desenhadas num ritmo muito baixo e nenhuma das equipas parecia capaz de criar perigo junto das balizas. Com o Cova da Piedade a adotar uma postura mais expectante, os anfitriões assumiram, timidamente, o domínio do jogo. O primeiro sinal dessa intenção veio de Kléber, aos 10 minutos, num cabeceamento que saiu demasiado alto.

A monotonia acabou por ser quebrada aos 21 minutos, com o grande golo de Ailton. O lateral estorilista desferiu um potente remate de primeira a cerca de 30 metros da baliza de Guilherme Oliveira, que não conseguiu evitar o golo.

O tento revelou-se, verdadeiramente, um ‘despertador', pois, a partir daí, o Estoril passou a jogar com maior dinâmica e a exercer um controlo efetivo e claro. Por outro lado, a equipa comandada por Sérgio Bóris acusou o ‘golpe' e ficou ainda mais retraída.

A exceção surgiu por uma desatenção dos estilistas, com Diakhité e o guardião Luís Ribeiro a desentenderem-se, deixando quase a bola à mercê de Rui Varela.

Depois de perder, por lesão, Kléber, que cedeu o lugar a Bruno Gomes, o Estoril acabou por gerir o rumo da partida e a vantagem mínima até ao intervalo.

Com o segundo tempo, veio um jogo completamente diferente, já que o Cova da Piedade regressou com uma atitude e dinâmica muito superiores, colocando pressão sobre os primodivisionários logo desde os primeiros instantes.

No espaço de quatro minutos, a equipa da II Liga criou duas oportunidades, por Silas e Robson, mas não conseguiu encontrar a eficácia para empatar.

Aos 54 minutos, a formação orientada por Sérgio Bóris chegou mesmo a colocar a bola na baliza, mas o lance já havia sido invalidado antes pelo árbitro Gonçalo Martins, uma vez que o cruzamento de Soares tinha transposto a linha de fundo. Era o alerta de uma equipa transfigurada.

O encontro passou a ser mais repartido e emocionante, com os forasteiros a empenharem-se cada vez mais na busca do empate. O Estoril perdera agora a hegemonia e procurava serenar o desafio. Fabiano Soares deu instruções à equipa e esta começou também a apostar mais nas transições rápidas para tentar surpreender.

As alterações dos dois treinadores não mudaram o filme no relvado do Estádio António Coimbra da Mota. E, apesar de ter também colocado a bola na baliza do Cova da Piedade, por intermédio de Bruno Gomes, e ver o lance ser igualmente anulado por fora de jogo, o Estoril conseguiu aliviar a reação do adversário.

Ao cair do pano, e um pouco contra a corrente do jogo, o Estoril chegou mesmo ao segundo golo. Num excelente remate colocado, à entrada da área, Bruno Gomes sentenciou o jogo já no primeiro minuto de descontos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

seja o primeiro a comentar

Coritiba vence Cruzeiro e encerra sequência negativa no Brasileirão

  O Coritiba encerrou um longo jejum e respirou na luta contra o rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Na noite desta quarta-feira, o time...