Federer derrota Wawrinka e vai à final em Melbourne

Mesmo sem jogar o melhor tênis das duas semanas, Roger Federer manteve o estilo agressivo e superou mais uma vez o compatriota Stan Wawrinka numa quadra sintética. Com placar de 7/5, 6/3, 1/6, 4/6 e 6/3, em jogo de 3h05, Federer amplia seu recorde para 28 finais de Grand Slam e vai buscar no domingo o pentacampeonato no Australian Open e o 18º troféu de Slam de sua magnífica carreira. 

Cresce assim a possibilidade de o tênis rever uma final de Grand Slam entre Federer e Rafael Nadal, que às 6h30 de sexta-feira é favorito diante do búlgaro Grigor Dimitrov. Os dois não decidem um título desde Roland Garros de 2011. Federer leva desvantagem de 11 a 23 no geral, 2 a 9 em finais de Slam e 0-3 na Austrália. Diante de Dimitrov, Federer lidera por 5 a 0.

Federer não ganha um título de Slam desde Wimbledon de 2012. Nesse período, foi duas vezes vice em Wimbledon e outra no US Open, sempre diante de Novak Djokovic. Na Austrália, vinha de uma sequência de cinco derrotas em semifinais desde seu último título em Melbourne, em 2010. Wawrinka foi o terceiro top 10 eliminado por Federer nesta campanha, depois de Tomas Berdych e Kei Nishikori. Ele estava fora do circuito desde junho do ano passado.

O primeiro set foi intensamente disputado, mas viu muitos erros de lado a lado. O backhand de Federer se mostrou bem mais falho do que nas outras partidas e Wawrinka não se mexeu tão bem, especialmente diante dos slices do adversário. As chances se dividiram. Wawrinka sacou bem e escapou de 0-40, Federer foi à rede para evitar um 15-40 e no 12º game os golpes de Stan saíram por centímetros talvez por causa da pressão. Federer ganhou 15 dos 20 pontos que tentou na rede.

Os dois tenistas continuaram cometendo erros no começo do segundo set, mas Federer continuou com a tática de sufocar o adversário sempre que possível. Wawrinka sentiu a pressão, perdeu o saque no sexto game e a paciência, destruindo a raquete. Não reagiu mais e Federer fechou com um game muito bem jogado no ataque total.

Wawrinka pediu atendimento e foi para o vestiário. Na volta, entrou com proteção no joelho e mostrou um tênis mais solto. Federer no entanto caiu repentinamente de rendimento. Inconsistente no fundo e com saque pouco contundente, perdeu dois games de serviços consecutivos e deu ânimo a Stan, que ganhou o set com apenas 48% de acerto do primeiro saque.

Para surpresa geral, Wawrinka abriu o quarto set com nova quebra apostando em bater mais as devoluções. Mas Federer reencontrou seu melhor tênis na hora certa e virou para 2/1 com excelente atuação no fundo de quadra. O equilíbrio se manteve num momento em que o jogo atingiu seu maior nível técnico. Wawrinka manteve os nervos no lugar e conseguiu uma quebra brilhante no nono game.

Foi a vez então de Federer pedir atendimento e ir ao vestiário. Imprevisível, o quinto set teve um game tenso atrás do outro. Federer escapou de dois break-points em serviços consecutivos e deixou escapar um 0-30. Até que Wawrinka cometeu dupla falta para entregar o sexto game e abrir caminho para o adversário. Federer então caprichou no saque para aplausos de pé da esposa Mirka e foi a 5/2. Com nervos no lugar, liquidou no serviço seguinte.

Com a 19ª vitória em 22 duelos contra Wawrinka, Federer mantém a notável soberania sobre pisos sintéticos em cima do amigo, agora com 14 triunfos e apenas quatro sets perdidos. Em Grand Slam, sobe para seis vitórias, com única derrota no saibro de Paris.

Comentários

Postagens mais visitadas