Benfica vence Real Massamá e vai às quartas da Taça de Portugal

Dois golos de Mitroglou e um de Raúl Jiménez, todos na segunda parte, 'carimbaram' hoje o 'passaporte' do Benfica para os quartos de final da Taça de Portugal em futebol, ao vencer o Real Massamá, por 3-0.

Perante um adversário de lidera a Série G do Campeonato de Portugal, os comandados de Rui Vitória necessitaram de recorrer a dois lances de bola parada (uma grande penalidade e um pontapé de canto) para conseguirem levar a melhor sobre o Real Massamá, já depois de o apático peruano André Carrillo ter sido rendido ao intervalo pelo avançado Gonçalo Guedes. A cinco minutos do final do encontro, Raúl Jiménez, em bola corrida, 'selou' a contatem.

Em relação ao encontro frente ao Sporting (vitória por 2-1), apenas o guarda-redes Ederson e o defesa André Almeida permaneceram no 'onze' inicial, de onde se destacou a presença do jovem Yuri Ribeiro, que se estreou na equipa principal, bem como os regressos do central brasileiro Jardel e do avançado grego Mitroglou.

O Real Massamá apresentou-se na máxima força e foi notório um melhor entrosamento em relação aos 'encarnados', que iam escondendo lacunas pela qualidade técnica de jogadores como Cervi e Zivkovic, e jogando de forma lenta para reduzir a possibilidade de erro.

Aliás, o erro foi surgindo essencialmente pelos pés de Carrillo. Por isso, não foi de espantar que Gonçalo Guedes o tenha rendido ao intervalo. Como já tinha acontecido diante do 1.º Dezembro, na terceira eliminatória da Taça de Portugal (vitória por 2-1), o peruano passou ao lado do jogo, com uma postura displicente, sem garra, falhando passes nas transições para o ataque, com centros desacertados e, quando tentou a sorte, rematou demasiado longe da baliza de Patrick.

O golo acabou por surgir na abertura da segunda parte. Aos 47 minutos, Mitroglou de cabeça, ao primeiro poste, bateu o guardião Patrick, após canto cobrado por Zivkovic, no qual os centrais Matheus e Nuno Tomás, que anularam bem o grego no primeiro tempo, foram incapazes de o segurar.

Muito mais afoito, após a entrada de Gonçalo Guedes e depois de Rui Vitória ter corrigido os erros ao intervalo, o Benfica tomou, finalmente, conta do jogo, e foi precisamente o jovem avançado a estar na origem do segundo golo (e terceiro também) dos tricampeões nacionais, ao sofrer uma grande penalidade - foi rasteirado por Nuno Tomás -, convertida por Mitroglou, aos 81 minutos.

O mexicano Raul Jiménez, que tinha rendido Cervi instantes antes, acabaria por 'selar' o resultado, aos 85 minutos, depois de receber a bola de Gonçalo Guedes e tirar um adversário da frente.

Comentários

Postagens mais visitadas