18/01/2017

Benfica goleia Leixões e vai à semifinal da Taça de Portugal

Um Benfica pouco dado a facilitismos impôs hoje a ‘lei do mais forte' e goleou na recepção ao Leixões, por 6-2, apurando-se para as semifinais da Taça de Portugal de futebol, após duas épocas de ‘interregno'.

Com gols de Pizzi (21 minutos), André Almeida (31), Jonas (38) e um ‘hat-trick' de Mitroglou (60, de grande penalidade, 71 e 90+1), os ‘encarnados' superaram o surpreendente Leixões, que atenuou os números do desaire com dois tentos de Porcellis (44 e 67).

A formação da Luz, que nas duas temporadas transatas tinha sido eliminada nos ‘oitavos', diante do Sporting de Braga (2014/15), e na quarta eliminatória, frente ao Sporting (2015/16), volta, assim, a marcar presença nas meias-finais da prova ‘rainha', onde terá pela frente o Estoril-Praia, que na véspera deixou pelo caminho a Académica.

Após o empate 3-3 diante do Boavista, no domingo, para o campeonato, Rui Vitória apenas manteve na equipa titular os laterais Nélson Semedo e André Almeida, a dupla de meio-campo composta por Samaris e Pizzi, e o avançado Jonas, tendo, por outro lado, feito regressar Júlio César, Lisandro López, Jardel, Carrillo, Zivkovic e Mitroglou ao ‘onze'.

Os ‘encarnados' começaram cedo a procurar o ‘caminho' das meias-finais, jogando perto da área do Leixões, mas sem conseguir ‘ferir' o 20.º classificado da II Liga, que, como era expetável, se apresentou na Luz com um bloco baixo e muito compacto, pelo menos nos instantes iniciais.

Ainda assim, Jardel conseguiu encontrar espaço para cabecear, ainda que sem perigo, antes de Zivkovic dar o primeiro sério aviso às hostes leixonenses, num remate defendido de forma pouco ortodoxa, mas eficaz, por Assis.

Desta forma, à passagem dos 20 minutos, Pizzi aproveitou um desentendimento entre Assis e Wellington e inaugurou o marcador, anotando o nono golo da época e dando mais um passo para bater o seu melhor registo da carreira, quando apontou 11 tentos pelo Paços de Ferreira, em 2010/11.

Pouco depois, nem o médio benfiquista nem Carrillo acertaram com a baliza e seria o inesperado André Almeida a aumentar a contagem, batendo o seu antigo companheiro de equipa no Belenenses Assis, com alguma felicidade, tendo em conta que, aparentemente, o lateral procurava assistir Mitroglou, mas viu a bola encaminhar-se diretamente para baliza.

Este foi, de resto, um momento que o polivalente jogador vai recordar, uma vez que, ao fim de seis temporadas na Luz, conseguiu o seu primeiro golo, no 148.º encontro oficial pela equipa principal dos ‘encarnados'.

Aos poucos, o Benfica ia capitalizando o domínio exercido sobre o adversário, acabando por chegar ao terceiro ainda na primeira parte, desta feita pelo ‘inevitável' Jonas, sendo que a formação de Matosinhos conseguiria reduzir a diferença em cima do intervalo, por intermédio de Porcellis.

Logo no arranque da etapa complementar, Mitroglou viu a barra e Assis negarem-lhe o golo em duas ocasiões, só que, à hora de jogo, não enjeitou a terceira tentativa e bateu Assis de grande penalidade, na sequência de uma falta de Lenda Belly sobre Zivkovic, que voltou a revelar bons pormenores e parece apostado em dificultar as opções de Rui Vitória.

Apesar do ‘bis' de Porcellis - novamente assistido pelo irreverente Ença Fati - ainda ter dado algumas ténues esperanças ao conjunto de Matosinhos, estas acabaram por se diluir no espaço de quatro minutos, com o segundo golo de Mitroglou.

Lisandro López, que na primeira parte já tinha tentado o golo, também esteve perto de se inscrever na lista de marcadores, na qual voltou a constar o nome de Mitroglou, que, em tempo de compensação, finalizou da melhor forma uma iniciativa individual de Carrillo e alcançou o primeiro ‘hat-trick' da época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

seja o primeiro a comentar

Halep supera Stephens e chega à final em Cincinnati

Pela terceira vez na temporada, Simona Halep está a uma vitória de assumir a liderança do ranking mundial. A romena se colocou novamente em ...